quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Rubem Braga


Boa noite, meus queridos leitores do “Cantinho da Literatura”.
Hoje, escolhi falar sobre Rubem Braga por dois motivos:
Ele é Capixaba, nascido em Cachoeiro do Itapemirim; será destaque no Carnaval 2013, pela Escola de Samba Unidos de Jucutuquara, uma das mais conceituadas aqui em Vitória -ES, no próximo sábado, 02 de fevereiro, em homenagem ao centenário do seu nascimento.
Vocês que conhecem Rubem Braga, vão saber um pouco mais sobre esse querido escritor e quem não o conhece, tenho certeza que vão se deliciar com a história desse homem que foi um marco importante na nossa literatura.
Quando pesquisei sobre ele, fiquei “tentada” em postar todas as suas obras; suas crônicas e pensamentos, mas seria impossível, pois o espaço é pequeno demais.
Mas, o objetivo desse espaço é passar o resumo da vida dos nossos queridos escritores brasileiros e havendo interesse, com certeza vocês vão se aprofundar pesquisando e lendo livros fascinantes deixados por eles, eternizando as suas obras.
Rubem Braga

"Sempre tenho confiança de que não serei maltratado na
porta do céu, e mesmo que São Pedro tenha ordem
para não me deixar entrar, ele ficará indeciso
quando eu lhe disser em voz baixa:
"Eu sou lá de Cachoeiro..."
Rubem Braga, considerado por muitos o maior cronista brasileiro desde Machado de Assis, nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, ES, a 12 de janeiro de 1913.
Iniciou-se no jornalismo profissional ainda estudante, aos 15 anos, no Correio do Sul, de Cachoeiro de Itapemirm, fazendo reportagens e assinando crônicas diárias no jornal Diário da Tarde. Formou-se bacharel pela Faculdade de Direito de Belo Horizonte em 1932, mas não exerceu a profissão. Neste mesmo ano, cobriu a Revolução Constitucionalista deflagrada em São Paulo, na qual chega a ser preso. Transferindo-se para Recife, dirigiu a página de crônicas policiais no Diário de Pernambuco. Nesta cidade, fundou o periódico Folha do Povo. Em 1936 lançou seu primeiro livro de crônicas, O Conde e o Passarinho, e fundou em São Paulo a revista Problemas, além de outras. Durante a Segunda Guerra Mundial, atuou como correspondente de guerra junto à F.E.B. (Força Expedicionária Brasileira).

Na capital mineira se casou, em 1936, com Zora Seljan Braga, de quem posteriormente se desquitou; mãe de seu único filho Roberto Braga.
Rubem Braga (esquerda em pé) com os correspondentes de guerra da FEB em 1944.
Rubem Braga fez diversas viagens ao exterior, onde desempenhou função diplomática em Rabat, a capital do Marrocos, atuando também como correspondente de jornais brasileiros. Após seu regresso, exerceu o jornalismo em várias cidades do país, fixando domicílio no Rio de Janeiro, onde escreveu crônicas e críticas literárias para o Jornal Hoje, da Rede Globo de Televisão. Sua vida como jornalista registra a colaboração em inúmeros periódicos, além da participação em várias antologias, entre elas a Antologia dos Poetas Contemporâneos.

Na noite de segunda-feira, 17 de dezembro de 1990, o escritor Rubem Braga reuniu um pequeno grupo de amigos, cada vez mais selecionados por ele, na sua cobertura em Ipanema. Foi uma visita silenciosa, mas claramente subentendida pelos amigos Moacyr Werneck de Castro, Otto Lara Resende e Edvaldo Pacote. Às 23h30 da noite de quarta-feira, sedado num quarto do Hospital Samaritano, Rubem Braga morreu, sozinho como desejara e pedira aos amigos.
A causa da morte foi uma parada respiratória em consequência de um tumor na laringe que ele preferiu não operar nem tratar quimicamente.
Caso estivesse vivo, o escritor Rubem Braga completaria 100 anos no sábado, 12 de janeiro. Em comemoração ao centenário, a prefeitura de Cachoeiro de Itapemirm, no Sul do estado, município de nascimento do cronista, realizou um café da manhã literário na Casa dos Braga, onde Rubem viveu na infância.
Casa em que Rubem Braga viveu na infância em Cachoeiro. (Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal de Cachoeiro)
Homenagem
Foi inaugurada no dia 30 de junho de 2010 a terceira saída da estação General Osório do Metrô em Ipanema, na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro. O novo acesso, que conta com duas torres com dois elevadores ligando a Rua Barão da Torre ao Morro do Cantagalo, recebeu o nome de Complexo Rubem Braga, em homenagem ao escritor que por anos morou na cobertura do prédio vizinho à estação.

Algumas crônicas:
O Conde e o Passarinho, 1936
O Morro do Isolamento, 1944
Com a FEB na Itália, 1945
Um Pé de Milho, 1948
100 Crônicas Escolhidas, 1958
Ai de Ti, Copacabana, 1960
O Conde e o Passarinho e o Morro do Isolamento, 1961
Crônicas de Guerra - com a FEB na Itália, 1964
A Cidade e a Roça e Três Primitivos, 1964
A Traição das Elegantes, 1967
Crônicas do Espírito Santo, 1984 (Coleção Letras Capixabas)
As Boas Coisas da Vida, 1988
O Verão e as Mulheres, 1990
200 Crônicas Escolhidas
Casa dos Braga: Memória de Infância (destinado ao público juvenil)
Uma fada no front
Histórias do Homem Rouco
O Menino e o Tuim
Recado de Primavera
Um Cartão de Paris
Pequena Antologia do Braga
Além dessas obras, foram várias adaptações, inclusive a Coleção Reencontro Audiolivro - Cirano de Bergerac - Edmond Rostand.
Romance: Casa do Braga
Algumas frases de Rubem Braga:
"As Rosas Exalam o Perfume de Ti, Sinto-te Sempre Respirar. Que seus olhos jamais fiquem tristonhos!!!"
"Há um grande vento frio cavalgando as ondas, mas o céu está limpo e o sol muito claro. Duas aves dançam sobre as espumas assanhadas. As cigarras não cantam mais. Talvez tenha acabado o verão."
"Tudo o que nos separava subtamente falhou."
Bem, meus amigos; espero que tenham gostado de conhecer Rubem Braga e na próxima semana ele estará novamente no nosso “Cantinho da Literatura”; dessa vez, apresentando alguns textos de suas crônicas.
Até a próxima quinta-feira.
Abraços da amiga Janete





terça-feira, 29 de janeiro de 2013

BRIGADEIRÃO


Olá meus queridos amigos.
Faz tempo que não deixo para vocês uma daquelas receitas bem fáceis, rápidas e deliciosas, não é mesmo? Estou sempre repetindo as minhas receitas; aquelas que já postei no “Cantinho da Culinária”, então, fico sem novidades.
No final de semana, tive uma “chef” muito especial que num “passe de mágica”, fez um brigadeirão para nós. Estou falando da minha filha Juliana que é uma “formiguinha” para doces.
Então, vou oferecer essa receita que tenho certeza, vocês vão fazer também, como se fosse um “passe de mágica”.
Vejam como é simples:
INGREDIENTES:
02 latas de leite condensado
01 lata de leite
04 ovos
04 colheres de cacau
COMO FAZER:
Bater tudo no liquidificador.
Coloque em uma forma para pudim. Não precisa untar, mas pode ser molhada.
Asse em banho Maria por +- 50 minutos.
Depois de frio, desenforme e leve para gelar.


Viram que fácil? Ficou uma delícia!!!
Abraços da amiga Janete e da "Chef" Juliana

“Podemos ter qualquer coisa que queremos
Enquanto acreditarmos que podemos, 
e nos mantermos alinhados com  nosso propósito
Não somos seres terrenais com experiências espirituais,
Somos seres espirituais vivendo uma experiência terrenal”.
                                               Teilhard de Chardin



domingo, 27 de janeiro de 2013

Carnaval

"Com que roupa eu vou..."
Olá meus queridos amigos.
Ontem deixei para vocês umas dicas sobre beleza e moda para o carnaval 2013, principalmente sobre maquiagens, acessórios e cabelos e hoje vocês, foliões ou não, vão saber o que usar nesse feriadão; afinal, a moda é para todos e ainda estamos no verão e como está quente; então, aproveitem essas dicas e bom feriado a todos.
Abraços da amiga Janete
"Se você pretende cair na folia, é melhor preparar uma mala cheia de looks fresquinhos, divertidos, coloridos e confortáveis. Veja algumas dicas de moda para sambar até amanhecer no carnaval 2013:
O que combina com carnaval é algria e conforto, com toda a certeza, por isso para pular e sambar a noite inteira, seja na avenida ou no salão, é preciso abusar dos calçados cômodos e baixinhos, além de roupas fresquinhas, pois além das altas temperaturas comuns nesta época, você ainda vai estar se exercitando, agitando muito o corpo.
O look ideal para o carnaval é um shortinho jeans, tênis ou sandália rasterinha e uma blusinha bem confortável, seja uma regatinha ou t-shirt cavadinha, porque ninguém merece morrer de calor. Se você for participar de algum bloco ou festa com abada, invista na customização para dar aquele toque especial à produção. Vale aplicação de tachinhas, brilhos, recortes e muito mais."
Então, para todas vocês, foliãs ou não, vejam abaixo alguns looks e inspiram-se com eles.

















 
Como vocês viram na matéria de ontem, nos cabelos também é importante fazer alguma coisa que lhe deixe livre para dançar muito.
 "Pode ser uma trança, um coque ou, até mesmo, um simples rabo de cavalo.
"Arrase na maquiagem. Muitas cores e brilhos para fazer bonito no carnaval. Cílios postiços são ótimos para estas ocasiões, pois dão uma aparência ainda mais charmosa para a maquiagem. Os batons de cores bem vibrantes, como vermelho, rosa e coral ficam lindos no verão e também no carnaval."
Espero que tenham gostado dessas dicas para o carnaval e para o verão que ainda está no "meio da temporada", a todo o "vapor". Aproveitem bem e não se esqueçam de se hidratar.
Não deixem de olhar "Moda e Beleza" no "janetenaweb". Tem sempre algumas dicas para vocês. Até a próxima.
Janete
"Quando a gente pensa que sabe todas as respostas, 
aí vem a vida que muda todas as perguntas."
(Pensamento de Ana Maria Braga - Programa Mais Você)



sábado, 26 de janeiro de 2013

DICAS PARA O CARNAVAL!!!!

Boa noite meus queridos amigos.
Mal começou o ano e de repente... O CARNAVAL! Rápido, não é mesmo? Temos que estar preparados, pois o ano começou a todo vapor.
Para não perder tempo, consegui umas dicas legais para quem curte essa folia, essa alegria e gostam de looks bem legais e próprios para a ocasião.
Para começar, nada melhor do que algumas dicas de uma pessoa que entende muito bem dessa festa: Cláudia Leite.
Vejam a matéria:
"Uma das estrelas do carnaval brasileiro, a cantora Cláudia Leite (32) diz no que se deve investir na hora de se vestir para curtir os trios elétricos e blocos de ruas. Para a artista, todos devem zelar pelo conforto. "Antes de tudo, a roupa precisa ser confortável. O calor é grande, você está dançando, pulando, uma regata sempre vai bem, nunca sai da moda. Podem usar com tops caprichados por baixo, bem coloridos", declarou ao site do programa Caldeirão do Huck."
Ela ainda deu uma sugestão de uma peça que está na moda e pode ser uma grande aposta para as folias: o short boyfriend. "São curtinhos, mostram as pernas, e como são mais larguinhos, te deixam com os movimentos livres e olha a dica, emagrecem", revelou.
Cláudia ainda destaca para o público não usar salto alto no carnaval. "Coloquem um tênis, uma sapatilha e deixem os saltos para outra hora".
  
 
Tiara de flores foi a opção de Cláudia Leite
MAIS DICAS DE BELEZA PARA O CARNAVAL 2013!
 Arrase nesse /carnaval! (Foto: iStock) Carnaval é época de alegria, de extravagância, de praia e de muito sol! Foi pensando nisso que os cabelereiros e maquiadores Maurício e Roberto Martins, do salão MR Martin Hair e Beauty, elaboraram uma lista com dicas de beleza para você arrasar nos dias de folia. Veja:

 Nécessaire: Leve cosméticos para a viagem. (Foto: iStock)
Quem for viajar para regiões litorâneas não pode deixar de levar na nécessaire alguns produtos que vão ajudar a salvar o seu cabelo da ação do sol, do sal e do vento. Na praia, é sempre conveniente o uso de uma máscara ou leave in - se possível, com filtro solar - e reaplicar a cada vez que entrar na água. Shampoos sem sal, condicionadores de hidratação e nutrição também não podem ficar de fora.
 Rabos de cavalo para fugir do calor: Os rabos de cavalo são a melhor alternativa para enfrentar o calor do verão. Para quem quer fugir do comum e ousar, a dica é fazer um rabo de cavalo e adicionar um adereço, como flores, pedrarias e fitas. Assim, o cabelo ganha um estilo e você fica pronta para seguir os blocos!
 Apliques e perucas: Perucas coloridas também entram na folia.
Entra ano, sai ano e os apliques e perucas continuam fazendo a cabeça de muitas mulheres no Carnaval. Mas atenção, pois necessitam de um cuidado especial. Eles exigem uma manutenção diária, com limpeza e sol para secar.

Fios de ouro: Fios de ouro na cantora Beyoncé. Para quem gosta de novidades, a técnica conhecida como Pro Hair Shine, os fios de ouro, promete ser febre no Carnaval 2013. Consiste em fios dourados que, quando entrelaçados aos cabelos, criam um efeito de pontos de luz.
 Dreadlocks: Dreads dão charme (Foto: Thinkstock)
Os famosos dreads, que caracterizam o visual rastafári, também vão conquistar as cabeças de outras tribos. Os dreads oferecem um visual mais jovem e alternativo. Mas é importante ressaltar que eles, assim como qualquer cabelo, exigem higiene e devem ser lavados com frequência.
 Olhos coloridos: Olhos coloridos é a pedida. (Foto: iStock)
Sombras coloridas são unanimidade nesse Carnaval. As cores tendência são o verde, o azul, o rosa cintilante, o vermelho e, principalmente, o laranja. Vale usar duas cores num só make ou criar um degrade com tons diferentes de uma mesma cor, fica a seu critério.
 Make completo: Maquiagem poderosa. (Foto: Thinkstock)
Além das sombras coloridas, o look boneca também promete. Você deve usar a sua imaginação, um delineador colorido e muito rímel, cílios postiços e nunca esquecer o blush! Batons de cores vibrantes, como o vermelho e o tangerina, são as grandes apostas da estação.
 Maquiagem a base de água: O calor é o vilão da maquiagem. Procure um produto de boa qualidade. (Foto: iStock)
O calor é o grande vilão dos makes. Para uma produção duradoura e resistente ao suor, nada melhor do que uma maquiagem a base de água. O prime também é uma opção para melhorar a pigmentação e a fixação.
 Muito brilho: Abuse do glitter.  (Foto: iStock)
O glitter, preferência nacional no quesito make carnavalesco, continua com tudo. Vale solto, para passar no corpo, ou em sombras. Para quem quer brilhar, mas não tanto, os hidratantes iluminadores são uma ótima alternativa.
Água, água e mais água: 
Hidrate-se!!!!
Para finalizar, a dica mais importante: beber muita água. A hidratação é indispensável para aguentar a maratona de desfiles, blocos, festas, praia e tudo de bom que o carnaval nos oferece. Além de ser fundamental para manter a beleza dos cabelos e da pele.

Bem meus queridos amigos. Essas foram as melhores dicas de moda e beleza que encontrei para vocês. Independente de idade ou classe social, o carnaval é para todos que gostam e querem aliviar as tensões cotidianas.
Para mim, carnaval é essa alegria toda, quando se brinca com a vontade pura de se divertir, se alegrar um pouco e tentar esquecer por alguns dias as preocupações e tristezas de que muitas vezes não podemos fugir, mas a vida segue, cada dia de uma vez e esse é o momento de acreditar que podemos ser felizes. Para quem não aprecia e não gosta de carnaval, procure olhar com alegria para os foliões que levam essa brincadeira a sério.
Espero que tenham gostado e aguardem que na próxima semana vocês terão umas dicas de roupas e acessórios para usar no Carnaval 2013.
Abraços da amiga Janete

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Anália Franco


Boa noite, meus queridos amigos.
Estou retornando com o nosso “Cantinho da Literatura”. No ano passado, na primeira edição desse quadro, tive o cuidado de pesquisar sobre esses incríveis escritores brasileiros, alternando entre os mais conhecidos, como Chiquinha Gonzaga, Jorge Amado, Carlos Drumond de Andrade, Mário Quintana, Paulo Coelho, Chico Anysio, Fernando Pessoa, Machado de Assis, Dias Gomes, José de Alencar, Graça Aranha, Monteiro Lobato e Thalita Rebouças; e também sobre alguns escritores menos conhecidos ou nada conhecidos para algumas pessoas, inclusive para mim, o que motivou esse espaço para que possamos enriquecer mais os nossos conhecimentos sobre a nossa rica literatura brasileira. Então, consegui passar para vocês um resumo sobre a vida de Lima Barreto, Jessier Quirino, Antônio Torres, e Francisco Azevedo.
Se vocês ainda não deram uma “espiadinha” no “Cantinho da Literatura”, vale a pena saber um pouco mais ou relembrar as obras desses gênios da literatura.
Para 2013, vou começar falando de uma pessoa muito especial e dígna de ser lembrada, pela sua personalidade e pelos trabalhos incríveis que ela deixou como um tesouro muito valioso. Estou falando da escritora Anália Franco e tenho certeza que vocês vão se interessar em saber mais sobre ela, após esse resumo que deixo para os amantes da literatura.
Leiam com atenção essa emocionante história dessa maravilhosa mulher. 
Não dá vontade de parar; é linda demais e naquela época... É difícil imaginar tanta coragem, dedicação e amor ao próximo, diante de tanta dificuldade. Essa foi guerreira e mereceu sem dúvida, a vitória e hoje, sem dúvida, merece a nossa homenagem. 
Abraços da amiga Janete

Anália Franco
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Anália Franco Bastos, mais conhecida como Anália Franco (Resende, 10 de fevereiro de 1856 - São Paulo, 20 de janeiro de 1919), foi uma professora, jornalista, poetisa e filantropa brasileira.
Fundou mais de setenta escolas e mais de uma vintena de asilos para crianças órfãs. Na cidade de São Paulo, fundou uma importante instituição de auxílio a mulheres e a região, antes afastada do centro, é hoje o bairro Jardim Anália Franco. Morreu vitimada pela gripe espanhola.
Associação Beneficente Feminina e instructiva fundada por Anália Franco. Prédio tombado pelo Patrimônio Histórico da cidade de São Paulo.
Biografia - O seu nome de solteira era Anália Emília Franco. Após o seu matrimônio com Francisco Antônio Bastos, o seu nome passou a Anália Franco Bastos.
Diplomada como Normalistas, aos 16 anos de idade, em 1872, num concurso promovido pela Câmara de São Paulo, logrou a aprovação para exercer o cargo de professora primária. À época, acabara de entrar em vigor a Lei do Ventre Livre no país (1871) e, tendo tomado conhecimento de que os nascituros de escravas estavam a ser encaminhados à roda dos expostos na Santa Casa de Misericórdia, Anália mobilizou-se, usando o seu talento de escritora para dirigir-se às esposas dos fazendeiros e trocou o seu cargo na capital paulista por outro, no interior, a fim de socorrer as crianças necessitadas.
Graças à ajuda de uma dessas fazendeira, num bairro de uma cidade no norte do estado de São Paulo obteve uma casa para instalar uma escola primária. Tendo a fazendeira lhe imposto a condição de segregação entre crianças brancas e afro-descendentes para a cessão gratuita do imóvel, Anália recusou-a terminantemente, passando a pagar um aluguel. Nessa primeira "Casa Maternal", passou a receber as crianças que lhe batiam à porta, levadas por parentes ou recolhidas nos caminhos da região. A fazendeira, ressentida com a altivez da jovem professora e vendo que a sua casa, embora alugada, se transformara num albergue, recorreu ao prestígio do marido (um "coronel"), e este obteve a remoção de Anália. Indo para a cidade, alugou uma velha casa, consumindo com essa despesa a metade do seu salário. Como o restante era insuficiente para a alimentação das crianças, não hesitou em ir pessoalmente pedir esmolas para prover as crianças que referia carinhosamente em seus escritos como os "meus alunos sem mães".
Numa folha local anunciou que, ao lado da escola pública, havia um pequeno "abrigo" para as crianças desamparadas. Embora essas práticas chocassem o setor conservador da cidade, Anália obteve o apoio de um grupo de abolicionistas e republicanos.
Desse modo, ao longo do tempo, tendo  implantado algumas escolas maternais no interior do estado, voltou para a capital paulista, ainda com o apoio do grupo abolicionista e republicano. O seu prestígio no seio do professorado já era grande quando finalmente foi decretada a abolição da escravatura (1888) e a República (1889). O advento dessa nova era encontrou Anália com dois grandes colégios gratuitos para meninas e meninos. A sua preocupação com as crianças desamparadas, levou-a a fundar uma revista própria, intitulada "Álbum das Meninas", cujo primeiro número veio a público a 30 de abril de 1898. O artigo de fundo desse número inaugural tinha o título "Às mães educadoras".
Pouco depois, com o apoio de vinte senhoras, fundou o instituto educacional que se denominou "Associação Feminina Beneficente e Instrutiva", a 17 de novembro de 1901, no Largo do Arouche. A Associação Feminina mantinha ainda um Bazar na rua do Rosário nº 18, para a venda dos artefatos produzidos nas suas oficinas, e uma sucursal desse estabelecimento na Ladeira do Piques nº 23.
Em seguida criou várias "Escola Elementares", instalando, com inauguração solene a 25 de janeiro de 1902, o "Liceu Feminino", destinado a instruir e preparar professoras para a direção daquelas escolas, com o curso de dois anos para as professoras de "Escolas Maternais" e de três anos para as de "Escolas Elementares".
No curso de sua atuação publicou numerosos folhetos e opúsculos referentes aos cursos ministrados em suas escolas, e tratados sobre a infância, nos quais as professoras encontraram meios de desenvolver as faculdades afetivas e morais das crianças, como parte do processo pedagógico. O seu opúsculo "O Novo Manual Educativo", era dividido em três partes: Infância, Adolescência e Juventude.
Em 1 de dezembro, passou a publicar "A Voz Maternal", revista mensal com a tiragem de 6.000 exemplares - expressiva à época - impressa em oficinas próprias.
Anália Franco mantinha Escolas Reunidas na capital e Escolas Isoladas no interior do estado, Escolas Maternais, Creches na capital e no interior do estado, bibliotecas anexas às escolas, Escolas Profissionais de Arte Tipográfica, Curso de Escrituração Mercantil, Prática de Enfermagem e Arte Dentária, de Línguas (francês, italiano, inglês e alemão); Música, Desenho, Pintura, Pedagogia, Costura, Bordados, Flores Artificiais e Chapéus, num total de 37 instituições.
A sua produção literária compreendeu ainda três romances: "A Égide Materna", A Filha do Artista", e "A Filha Adotiva", além de numerosas peças teatrais, diálogos e várias poesias, destacando-se "Hino a Deus", "Hino a Ana Nery", Minha Terra", "Hino a Jesus" e outros.
Em 1911 conseguiu, sem qualquer recurso financeiro, adquirir a "Chácara Paraíso", 75 alqueires de terra, parte matas e capoeiras e o restante benfeitorias diversas, entre as quais um velho solar, que havia pertencido a Diogo Antônio Feijó. Nesse espaço fundou a "Colônia Regeneradora D. Romualdo", aproveitando o casarão, a estrebaria e a antiga senzala, internando ali sob direção feminina, os rapazes mais aptos para a agricultura, a horticultura e outras atividades agropastoris, recolhendo ainda moças desviadas, conseguindo assim regenerar centenas de mulheres.
Ao final da vida, Anália Franco constituiu 71 Escolas, 2 albergues, 1 colônia regeneradora para mulheres, 23 asilos para crianças órfãs, 1 Banda Musical Feminina, 1 orquestra, 1 Grupo Dramático, além de oficinas para manufatura em 24 cidades do interior e da capital.
Veio a falecer quando havia tomado a deliberação de viajar até ao Rio de Janeiro fundar mais uma instituição, projeto que viria a ser materializado por seu esposo, com a fundação do "Asilo Anália Franco".
Uma seleção de frases proferidas pela educadora Anália Franco ou extraídas de mensagens psicografadas pelo médium Chico Xavier:
"Não há vida feliz, individual ou coletiva sem ideal..."

"Conceber o bem não basta; é preciso fazê-lo frutificar."

"A verdadeira caridade não é acolher o desprotegido, mas promover-lhe a capacidade de se libertar."

"Honrarias externas servem por marcos ao respeito humano e títulos convencionais exprimem valiosas oportunidades de trabalho, mas terminam nas roupas que os transportam ou nas mãos que os empunham, se não foram mobilizados com humildade no cultivo do bem."

"Nosso fim é procurar diminuir cada vez mais em nosso meio a necessidade de esmola, pelo desenvolvimento da educação e do trabalho. Eduquemos e amparemos as pobres crianças que necessitam de nosso auxílio, arrancando-as das trilhas dos vícios, tornando-as cidadãs úteis e dignas para o engrandecimento de nossa pátria."

domingo, 20 de janeiro de 2013

Camiseta infantil




Feita em crochê, com linha Monalysa branca e Camila 1000 azul, essa camiseta infantil com lindo ponto fantasia - 
tamanho 4 - R$ 25,00 (Vendida)


Tudo o que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado.

...Notícias...