quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Feliz dia do idoso

Olá, meus queridos amigos.
Hoje, comemora-se o dia do idoso e não podia deixar faltar uma singela homenagem a essa data tão especial no nosso "Cantinho da Literatura".
Então, com votos de felicidades e meus sinceros parabéns a todos os privilegiados que conseguem viver na famosa "melhor idade" e eu já me encaixo nesse quadro de melhor vivência e experiência, agradecendo a Deus pela oportunidade de aprender mais, de conhecer mais, de viver mais...
A você, que tem 60, 70, 80... Não importa.
Hoje é o dia da melhor idade e podemos iniciar essa fase, não só pelo tempo vivido, mas pela vida e experiências de vida que já tivemos e haveremos de ter, se Deus quiser.

Que cada flor possa alegrar a nossa vida com a sua fragrância agradável e especial, exalando a essência da paz e do amor, da esperança e dos sonhos já realizados e dos que ainda se realizarão; das maravilhosas lembranças que nos acompanham a cada dia, como um estimulante para seguir em frente com um sorriso no semblante de quem pode fazer dessas lembranças um dos motivos para viver e sonhar, com orgulho e com doces saudades...
Que cada flor possa enfeitar a nossa vida nesse dia, como início de mais uma etapa e de um novo ciclo que com certeza estará sempre iniciando em cada primavera...
Parabéns pela melhor idade, de sessenta, setenta, oitenta... Não importa.
Que vivamos com saúde, amor e muita paz no coração.
Parabéns pelo dia dos privilegiados.
Abraços, Janete


[Meu Pai Dizia]

Um dia foram pais carinhosos,
Hoje não são mais do que idosos.
Pelos aprendizes são mal tratados,
Vivendo uma vida de aposentados.

Em um dia foram mestres,
No outro foram fardos.
Membros de um grupo desgarrado,
Pais da evolução, filhos da perdição.

E o velho retirante se coloca a caminhar,
Na busca por um fio do passado a restaurar,
Passado em que sentiu orgulho de viver,
Viveu e assumiu paixões no entardecer,
Sem medo do escuro dominar sua clareza,
Usou toda a artimanha era o rei da esperteza,
Não detinha um centavo mais foi o mestre da nobreza.

Ouvimos os murmúrios, aprendemos os martírios,
Sentimos o perfume mergulhando sobre os lírios,
E no final da trilha te sobraram dois destinos,
Ou o asilo ou o exílio, mas eu prefiro o Sol Divino,

Um dia eu ouvi meu Pai dizer:
Só morre de verdade quem não viver,
Porque quem vive e faz por merecer,
Jamais verá o eterno anoitecer.

Um belo dia !
Meu Pai dizia...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá eu Gostária, da sua opinião.

...Notícias...