segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

"Fortalecer o espírito de família"

Olá, meus queridos amigos.
Passamos uma semana sufocante, devido à paralização da polícia Militar do Estado do Espírito Santo.
Ficamos reféns da insegurança, e pagamos a consequência dos inconsequentes, que não pensaram nem por um momento que milhares de famílias sofreriam ameaças, vandalismos, traumas, enfim, insegurança total em todos os aspectos. Trabalhadores precisando sair de suas casas, para defender o seu pão de cada dia, que mesmo com salários defasados, compreendem que a crise econômica do país gerou um caos em todas as categorias, e compreendem também, que mesmo com a defasagem, dão graças a Deus por terem um emprego, haja vista, que milhões de trabalhadores perderam seus empregos e procuram um jeito de continuar sustentando suas crianças, suas famílias buscando muitas vezes uma alternativa para não caírem em desespero, procurando uma forma de sobrevivência.
Não tenho muito o que falar sobre o assunto, mas deixo bem claro que apesar de ser uma pessoa muito justa, estou decepcionada com a postura de todos que contribuíram para esse estrago geral, com uma população imensa que se tornou refém com a sua impotência, gerando uma imensa tristeza, vendo vidas sendo arrastadas, no meio de um luto irreparável com uma greve desnecessária da forma em que foi conduzida. Crueldade? Desumanidade? Egoísmo? Inconsequência? Orgulho? Sinceramente, acho que foi tudo isso; uma receita amarga com ingredientes estragados pela intolerância e pelo sentimento ferido de milhares de pessoas.
Hoje, começamos mais uma semana, com uma pequena parte do efetivo da Polícia Militar, que timidamente se apresenta e se esforça para que a normalidade volte em todos os Municípios do Estado do Espírito Santo, somados às Forças Armadas do Exército Nacional e a Guarda Municipal, que continuarão agindo no sentido de tranquilizar a população.

Como sempre faço, nas segundas-feiras, deixo uma mensagem reflexiva para começarmos bem a semana.
Vamos começar essa semana com dois textos de Apolônio Carvalho:
"Lançar sementes de fraternidade ao nosso redor" e "Fortalecer o espírito da família"
 
"Nós colhemos o que plantamos. Este é um ditado popular muito verdadeiro. Devemos toma-lo pelo seu aspecto positivo, isto é, interpretá-lo vendo tudo de bom que podemos semear ao nosso redor: amizades, honestidade, simpatia, cordialidade e sobretudo fraternidade. A fraternidade nasce onde nós a semeamos, porque o amor fraterno é o mais perfeito testemunho da caridade. Não uma caridade entendida como assistencialismo, mas a vivência do amor recíproco genuíno. Devemos semear amor com atos concretos, sem esquecer que a semente deve morrer para germinar, assim o nosso "eu" deve morrer para que germine o "nós", o coletivo, a fraternidade.
Apolônio Carvalho Nascimento

"Fortalecer o espírito de família"

"O espírito de família é a verdadeira caridade. Na família se compartilham as dores e as alegrias de maneira intensa, o que é do outro é meu e o que é meu é de todos. O espírito de família faz com que estejamos unidos e nos sintamos fortalecidos nos momentos difíceis; ou que tenhamos a alegria multiplicada nos momentos de conquistas. Podemos criar um espírito de família em todos os ambientes levando a paz, a concórdia a partilha, a misericórdia, enfim, o amor mútuo. O espírito de família eleva as relações ao estilo de vida trinitário, à unidade."
Apolônio Carvalho
 
Que essa passeata seja o maior desabafo de toda população, num clamor de PAZ para todos os povos que sofrem de violência, insegurança, egoísmo e desespero e que seria muito melhor se todos se unissem na solidariedade, esperança, fé e amor ao próximo.
Desejo que tenhamos uma semana mais tranquila, segura, e acima de tudo, com muita compreensão e esperança de que tudo se normalize o mais breve possível.
Que possamos refletir sobre esses dois textos e colocar em prática, começando pelos bons pensamentos, pela gratidão à Deus por nos ter livrado dessa violência, protegendo nossas famílias e nossas casas.
Fazendo uma corrente de oração e otimismo para que os empresários e lojistas possam se recuperar dos danos morais, financeiros e os traumas causados em toda população do Estado do Espírito Santo, e acima de tudo, pedir a Deus que conforte as famílias que perderam seus entes queridos nessa guerra desnecessária e inconsequente - poderiam ter buscado uma forma diferente de reivindicação sem levar mais de cento e quarenta vítimas; deveriam pensar melhor no significado de família e de comunidades; deveriam pensar que vidas que se foram, também precisavam trabalhar para sustentar suas esposas e seus filhos; poderiam pensar na tristeza estampada nos rostos das crianças assustadas, que não entendem o que está acontecendo, mas que ainda assim reivindicam a sua liberdade, o seu direito de ir às escolas, mas que se encontram fechadas; brincar nos parquinhos, mas não tem segurança, mas, o principal para muitas delas, era o direito de abraçar seus pais que morreram por falta de segurança ou por tentar defender a sociedade de um vandalismo qualquer, e a dor dos pais que perderam seus filhos, que poderiam continuar com seus sonhos e se tornarem cidadãos de bem, quem sabe, até mesmo um policial para garantir a segurança e a paz...
Uma abençoada semana a todos.
Que Deus nos proteja.
Abraços da amiga Janete


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá eu Gostária, da sua opinião.

...Notícias...