quinta-feira, 28 de julho de 2016

Stella Leonardos


Olá, meus queridos amigos. Nessa semana, muito especial, uma homenagem à escritora Stella Leonardos, com dois lindos poemas para os avós.
Stella Leonardos da Silva Lima Cabassa (Rio de Janeiro - RJ, 1923). Poeta, tradutora, romancista, com mais de 70 obras publicadas, em poesia, prosa, ensaios, teatro, romances e literatura infantil. Considerada membro expoente da 3ª geração de poetas modernitas. Um dos maiores nomes da poesia contemporânea no Brasil.

UMA AVÓ
És a saga de ternura
Das cantigas de ninar.
Sugestão de iluminura
Nas histórias de encantar.
Clarão de candeia pura
Sobre o livro de rezar.
 
Fada boa envelhecida.
Tecedeira de ilusão.
Esperança comovida.
Doce crença de cristão.
Duas vezes mãe na vida.
Duas vezes devoção.
Stella Leonardos
 
UM AVÔ
Meu velho avô de alma jovem,
Inda hoje me comovem
As histórias que contavas.
Punhas nelas tanta vida,
Tanta força colorida,
Que tu mesmo as incarnavas.
Nos contos dos bons gigantes.
No Brasil dos bandeirantes.
Na Grécia cheia de glória.
Só não contaste as façanhas
Que tiveste. As lutas ganhas
E as perdidas com vitória.
E nem grego ou brasileiro
Foi mais esteta e pioneiro
Do que tu quando sonhaste.
Meu velho avô de alma jovem!
Mais que as outras me comovem
As histórias que calaste.
Stella Leonardos
 Avós. Pessoas que se doam, mesmo com a missão cumprida de ter criado seus filhos e os encaminhado para a estrada da vida, dando sequência às suas origens, a novas gerações, que resgatam e motivam para orgulhosamente ver o resultado das grandes lutas e dificuldades, com a alegria e realização de ver que todo sacrifício não foi em vão: Valeu a pena! E como recompensa, a alegria de poder curtir seus netos, como mães e pais substitutos, com carinho e amor em dobro.
Avós, troca de carinho e amor, cumplicidade silenciosa, amor incondicional, orgulho e compreensão  gratuitos e gratidão eterna.
Parabéns a todos os avós que podem aproveitar e cuidar dos seus netos e que têm o privilégio e a felicidade de serem cuidados por eles, quando também precisarem de um ombro amigo, reconhecendo e retribuindo todo amor que lhes foi dedicado quando também precisaram dos amados avós. 
Tenho certeza que, se um dia eu receber a graça de ser avó, estarei com o coração e os braços abertos para acolher, amar e agradecer a Deus pelo dom da vida e da continuidade das famílias, preparando para uma nova geração.
Abraços da amiga Janete

 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá eu Gostária, da sua opinião.

...Notícias...