quinta-feira, 24 de julho de 2014

Ariano Suassuna

Olá, meus queridos amigos.
Ontem, 23 de julho, faleceu o intelectual Ariano Suassuna e o nosso "Cantinho da Literatura" deixa essa singela homenagem a esse querido escritor, com uma breve biografia e algumas de suas frases e pensamentos.
Pesquisem mais sobre esse fabuloso gênio da Literatura Brasileira. Vocês vão se surpreender.
Abraços da amiga Janete.

Ariano Vilar Suassuna (João Pessoa, 16 de junho de 1927 - Recife, 23 de julho de 2014) foi um dramaturgo, romancista, ensaísta e poeta brasileiro.
Idealizador do Movimento Armorial e autor de obras como Auto da Compadecida, considerada sua obra máxima, e O Romance d'A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta, foi um preeminente defensor da cultura do Nordeste do Brasil.
Foi Secretário de Cultura de Pernambuco entre 1994 e 1998, e Secretário de Assessoria do governador Eduardo Campos, até abril de 2014.
Ariano Suassuna foi um grande defensor da cultura popular e um torcedor fanático do Sport Vlub do Recife.
Morte:
Ariano morreu no dia 23 de julho de 2014 no Real Hospital Português, no Recife, onde deu entrada na noite do dia 21 vítima de um acidente vascular cerebral (AVC).
FRASES:
“A massificação procura baixar a qualidade artística para a altura do gosto médio. Em arte, o gosto médio é mais prejudicial do que o mau gosto... Nunca vi um gênio com gosto médio.”
“Tudo que é vivo, morre.”

“A humanidade se divide em dois grupos, os que concordam comigo e os equivocados.”


“Que eu não perca a vontade de ter grandes amigos, mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas.”

“Eu digo sempre que das três virtudes teologais, sou fraco na fé e fraco na qualidade, só me resta a esperança. Eu sou o homem da esperança.”
                                      

“Terceira idade é para fruta: verde, madura e podre.”

“O otimista é um tolo. O pessimista, um chato. Bom mesmo é ser um realista esperançoso.”

 

"Não sei, só sei que foi assim!"
(Em: O Auto da Compadecida)

"Matar padre dá um azar danado. Sobretudo para o padre."
(Em: O Auto da Compadecida)

"Jesus às vezes se disfarça de mendigo pra testar a bondade dos homens."
(Em: O Auto da Compadecida)

"Cumpriu sua sentença. Encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca do nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados, porque tudo o que é vivo, morre."
(Em: O Auto da Compadecida)

                                      


Obras selecionadas
  • Uma mulher vestida de Sol, (1947);
  • Cantam as harpas de Sião ou O desertor de Princesa, (1948);
  • Os homens de barro, (1949);
  • Auto de João da Cruz, (1950);
  • Torturas de um coração, (1951);
  • O arco desolado, (1952);
  • O castigo da soberba, (1953);
  • O Rico Avarento, (1954);
  • Auto da Compadecida, (1955);
  • O casamento suspeitoso, (1957);
  • O santo e a porca, (1957);
  • O homem da vaca e o poder da fortuna, (1958);
  • A pena e a lei, (1959);
  • Farsa da boa preguiça, (1960);
  • A Caseira e a Catarina, (1962);
  • As conchambranças de Quaderna, (1987);
  • Fernando e Isaura, (1956)"inédito até 1994".
Romance
Palestras
  • Defesa contra a teoria da evolução.
Poesia

  • O pasto incendiado, (1945-1970);
  • Ode, (1955);
  • Sonetos com mote alheio, (1980);
  • Sonetos de Albano Cervonegro, (1985);
  • Poemas (antologia), (1999).





Salve o gênio da Literatura Brasileira!
Obrigada, Ariano Suassuna.
Descanse em paz...




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá eu Gostária, da sua opinião.

...Notícias...