domingo, 11 de maio de 2014

DIA DAS MÃES

Olá, meus queridos amigos.
Hoje é um dia muito especial: como sabemos, é o dia das mães, dia de muitas homenagens, alegria e comemoração, afinal mãe é tudo na vida da gente. É o nosso porto seguro, é a melhor amiga, mesmo quando achamos que nossos destinos divergem, quando batemos de frente e quando tomamos nossas próprias decisões e escolhemos nossos caminhos, ela aceita, pois sabe que apesar de ser mãe, ela é um ser humano que um dia também teve que fazer as suas escolhas e  entregou a sua vida nas mãos de Deus e por isso, mesmo com o coração apertado de preocupação, aceita, na condição de ficar torcendo para que tudo dê certo na vida dos seus  filhos.  A minha mãe passou por essa experiência com todos os seus filhos e eu entendo, porque comigo não foi diferente.
Eu, desde mais nova, gostava muito de escrever versos e poesias para meus amigos de escola, de trabalho, para meus irmãos e, principalmente para a minha mãe. Mas tudo isso ficava guardado comigo, como um registro anônimo a todos que me são queridos, no meu “caderno de poesias”.
De algumas poesias e versos que fiz para ela, hoje, especialmente, escolhi uma de 1977 e é com ela que apresento a vocês uma homenagem para esse dia, uma homenagem especial para a minha querida e amada mãe, que hoje já não está mais aqui, com os seus filhos que ela tanto amava e que não poderei mais cantar para ela a música que eu cantava todos os anos, quando não passávamos juntas, por telefone: “Rainha do Lar”.

MÃE
Amiga eterna está tão distante...
O meu ser está vazio pela falta que fazes
Os consolos sinceros e carinhos constantes
Afastaram-se de mim; sumiram-se nos ares.
Hoje, sou só sem ti mãe amada;
Longe do afeto, sorriso e companhia.
Hoje só trago saudades, tristezas e mágoas,
Vivo a lembrar de ti na minha vida vazia.
Teu dia está próximo, amanhã talvez...
Não estarei presente para cumprimenta-la,
Mas sempre lembrarei que uma vez,
Ao aproximar-me de ti para abraça-la,
Disfarcei e fugi com minha grande timidez...
Agora, que me afastei um dia,
Sem saber como, nem mesmo porque,
Necessito dos teus conselhos, da tua simpatia,
Necessitarei sempre de estar junto de você.
No teu dia tão especial, mãe querida,
No meu pensamento estarás a todo instante.
Parabenizá-la-ei mesmo que ainda
Eu tenha que sentir mais uma saudade restante.
Perdoe-me mãe amada e singela
Se a faço sofrer por estar longe de ti,
Mas lembre-se mãezinha, que estarás sempre,
No meu pensamento, juntinho de mim.
03/05/1977. Janete

Hoje, a distância aumentou, a saudade está me corroendo. Estou lutando para superar a sua ausência. Hoje, estou mais só do que antes, de quando a deixei rezando por mim. Hoje, quem me deixou foi a senhora, pois precisou partir. Essa saudade tornou-se eterna, pois não tenho mais como visita-la, não tenho mais a senhora para abrir a porta da sua casa e me receber com um sorriso, não tenho mais a minha eterna amiga para desabafar e diminuir a saudade que a distância provocava. Ainda assim, continuarei cantando para a senhora, a canção que mesmo desafinada, eu entoava para a senhora, por telefone: “Ela é a dona de tudo, ela é a rainha do lar, ela vale mais para mim, que o céu, a terra, o mar...”
Sabe por quê?
“Mãe só tem uma” e é para sempre, mesmo na eternidade. A senhora se foi, mas vai merecer sempre os nossos parabéns e o nosso muito obrigado. Agora, vou cantar sempre para a estrela mais brilhante, quando eu olhar para o céu...

Obrigada por tudo, minha querida mãe.

No seu aniversário de 90 anos, com alguns de seus filhos.
 Foto com os netos. 
 
 E alguns dos genros e nora.
PARABÉNS A TODAS AS MÃES, COM O ABRAÇO DA AMIGA DE SEMPRE.
JANETE.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá eu Gostária, da sua opinião.

...Notícias...