terça-feira, 12 de novembro de 2013

Curiosidades sobre coelhos

Dia de curiosidades rurais.
Vocês gostam de coelhos? Vejam algumas curiosidades sobre esse animalzinho que encanta as crianças.
Coelho Gigante de Flandres: seu peso adulto varia entre 5 a 10 kg, podendo atingir até 12 kg; não são muito prolíferos apesar de manterem um rápido crescimento, por esta razão são mais utilizados para cruzamentos nas criações destinadas a produção de carne.

Obs.: este animal pertenceu ao plantel de Juan Carlos Cufré, criador argentino e chegou a pesar 13,700 Kg medindo 94 cm da calda até a cabeça.


Coelhos e lebres são animais bastante semelhantes entre si:
Essa semelhança não se restringe apenas à escala classificatória, mas se estende também ao aspecto fenotípico, aparência e conformação exterior. A semelhança entre estas espécies é tão grande, que até especialistas confundem, fato que se verifica com a chamada lebre-belga, que se trata de um coelho e o, também, chamado coelho-americano, na realidade uma lebre. Porém é possível distinguir cada uma:

Lebres:
Nascem com olhos abertos.
Lebre selvagem
Cobertos de pelos.
Duração de gestação - 40 dias. Número de láparos nascidos é de um a quatro. São menos velozes, porém não cansam rápido.
Sua carne é de cor vermelha.
Fazem ninho na superfície e possuem 48 pares de cromossomos.



Coelhos:
Nascem com olhos fechados, que abrem aos dez dias de idade. Nascem desprovidos de pelos, que surgem aos 4 dias. A duração da gestação é de 28 a 32 dias. O número de láparos nascidos é de 5 a 15. Tem maior velocidade para correr, porém cansam rápido.
Carne de cor branca.
Coelho raça Lebre belga



Vivem em colônias e fazem ninhos subterrâneos.
Possuem 44 pares de cromossomos.
Fonte: A criação de coelhos - Nélcio Vaz Mello et.al Editora Globo Rural.


Cecotrofagia: Elídia Zotelli (concluinte do curso de Zootecnia)


Uma interessante particularidade no processo digestivo do coelho é a prática da cecotrofagia, pseudo ruminação ou falsa ruminação, isto é, a ingestão de cecótropos, uma substância gelatinosa de cor escura que na verdade é o resultado da digestão microbiana dos coelhos, sim, eles não possuem um mecanismo fisiológico de absorver de proteínas no Céco, que é onde acontece a digestão microbiana, então o animal recolhe através do ânus. Os cecótropos permanecem intactos no estômago até seis horas, pois o muco que os envolve é forte, para ser quebrado em poucos minutos. Após a destruição deste muco o cecótropo passa por toda digestão normal no organismo completando assim o ciclo alimentar.

Este hábito característico da espécie, é a praticada a noite, de maneira regular, iniciando-se quatro horas após a última ingestão de alimentos e se faz em condições de muita tranquilidade, só efetuado fora do período noturno por fêmeas em lactação. Anteriormente denominada coprofagia, o termo foi mudado em 1980, durante o Congresso Internacional de Cunicultura, realizado em Barcelona, tendo por base estudos científicos que estabeleceram: coprofagia como o hábito de ingerir fezes e cecotrofagia o ato de comer o cecótropos, anteriormente chamada "fezes noturnas", hoje estabelecido como apenas "cecótropos" e "fezes" as eliminadas durante o dia.
Coelhos de pelagem Himalaia (Raças Californiano e Russo) possuem coloração escura típica nas extremidades do corpo (orelhas, focinho, patas anteriores e posteriores, e na cauda), sendo que no resto do corpo é totalmente branco. Se expusermos este animal a baixas temperaturas, as partes escuras do animal ficam intensamente escuras, já em alta temperaturas, as partes escuras ficam mais escassas.

O coelho, como qualquer outro animal vivo, pode sofrer mutações genéticas: alguns, totalmente pelados, só possuem pelos nas patas e no rabo.

Em breve, mais curiosidades rurais e curiosidades do Espírito Santo para vocês.
Abraços da amiga Janete


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá eu Gostária, da sua opinião.

...Notícias...