quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Vinicius de Moraes - 100 anos de história

Olá meus amigos.
 Continuando com as homenagens ao querido "poetinha", lembrando que essa semana está sendo comemorado o seu centenário, que será no sábado, dia 19 de outubro.
Nada melhor do que iniciar essa comemoração com a letra da música:
 "Garota de Ipanema"
Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça
É ela menina que vem e que passa
Num doce balanço, a caminho do mar.
Moça do corpo dourado, do sol de Ipanema
O seu balançado é mais que um poema
É a coisa mais linda que eu já vi passar.
Ah, por que estou tão sozinho?
Ah, por que tudo é tão triste?
Ah, a beleza que existe
A beleza que não é só minha
Que também passa sozinha
Ah, se ela soubesse que quando ela passa
O mundo inteirinho se enche de graça
E fica mais lindo por causa do amor
Vinicius de Moraes
Eu não existo sem você
Eu sei e você sabe, já que a vida é assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos 
Me encaminham pra você
Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
Eu não existo sem você.
Vinícius de Moraes
Vinicius de Moraes - um dos fundadores do movimento da "Bossa Nova"

  O movimento musical que ficaria conhecido como Bossa Nova “nasceu” oficialmente em 1958 com o cantor João Gilberto interpretando as músicas Chega de Saudade ( Tom Jobim e Vinicius de Moraes ) e Bim Bom ( do próprio autor ).

      A grande influência da cultura norte-americana do Pós- Guerra juntamente com a influência do impressionismo erudito e um certo inconformismo com o formato musical dos dós de peito, disseminaram inovadores como os violonistas Garoto, Valzinho, Lourindo de Almeida, Luís Bojá, o acordeonista João Donato e, principalmente, o pianista e compositor Johnny Alf.

Como imaginar o Tropicalismo sem os trabalhos precursores de Tom Jobim, Vinícius de Moraes e, principalmente, João Gilberto? Movimento que revolucionou o ambiente musical brasileiro em finais dos anos 50, a Bossa Nova foi um momento histórico da cultura brasileira. Seu apuro formal e sua beleza representavam uma das faces da modernização desenvolvimentista durante a era JK. Ruptura com o passado e renovação da tradição caminhavam de mãos dadas nas inovações formais e temáticas de suas canções. O grande marco do movimento foi o lançamento do disco Chega de Saudade, do baiano João Gilberto, em 1959. O canto “baixinho” e quase falado, a batida concisa do violão e as harmonias utilizadas por João provocaram uma verdadeira revolução, tornando-se um (ou “o”) divisor de águas na música popular brasileira. O disco influenciou toda uma geração de músicos como Chico Buarque, Edu Lobo, Jorge Ben, Milton Nascimento e, principalmente, os tropicalistas Caetano Veloso e Gilberto Gil.

“se você insiste em classificar meu comportamento de antimusical eu mesmo mentindo devo argumentar que isto é bossa nova isto é muito natural” Tom Jobim e Newton Mendonça 




 

 
 

 



 
Até a próxima semana, com mais um(a) escritor(a) brasileiro(a).
Abraços da amiga Janete



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá eu Gostária, da sua opinião.

...Notícias...